sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Varzim de Sintra


O pequenino


Vinte e uma fotografias de Eduardo Gageiro no 21º aniversário de O MIRANTE

Para saber mais carrega aqui

Montijo



Eléctrico de Sintra


Leopardo das neves “vence” o prémio de Fotografia Wildlife 2008

Para saber mais carrega aqui

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Hugo Rodrigues Cunha é o vencedor do Prémio Novo Talento Fnac Fotografia 2008


Hugo Rodrigues Cunha foi o vencedor do Prémio Novo Talento Fnac Fotografia 2008 com o portfeólio “Um Ponto Exacto Para Ver”. O fotógrafo pegou em imagens de satélite tiradas através do programa informático Google Earth e “deu-lhes vida”. Nessas imagens assinalou locais e depois tirou as fotografias a partir desses “pontos exactos”.Na opinião do júri do prémio, “para além do exercício de encontrar as diferenças e as semelhanças num e noutro registo, ganham importância, numa ordem estética, as cargas histórica, social, política, económica e ecológica transportadas pela imagem tridimensional”.No total foram avaliados 176 trabalhos. Além de Hugo Rodrigues Cunha, receberam menções especiais os portefólios “A & J” de José Cralos Duarte e “10 Retratos, 10 Esculturas” de Alexandre Delmar. A cerimónia de entrega de prémios e a inauguração da exposição do portefólio vencedor acontece no próximo mês, no dia 20, na Fnac de Almada. Quanto às menções especiais, o trabalho “A&J” vai começar por ser exposto na Galeria Fnac Alfragide no dia 27 de Novembro e “10 retratos, 10 esculturas” vai estar a partir de dia 18 de Dezembro na Fnac Viseu.O júri que este ano avaliou os 176 portefólios foi composto por Fátima Marques Pereira (professora do ensino universitário de teoria e história da fotografia), António Pedro Ferreira (fotojornalista do semanário Expresso), António Júlio Duarte (fotógrafo), Miguel von Hafe Pérez (crítico de arte e comissário de exposições) e Sérgio B. Gomes (jornalista do PÚBLICO e autor do blogue Arte Photographica).O Prémio Novo talento Fnac Fotografia realiza-se desde 2003 e procura “consagrar jovens fotógrafos que apresentem trabalhos inéditos, originais e com uma escrita fotográfica coerente”. Nas outras edições os vencedores foram Pedro Guimarães, Francisco Kessler, António Lucas Soares, Virgílio Ferreira, João Margalha, Nelson d'Aires e Inês d'Orey

Um dia na horta do Joaquim











Empresário lançam exposição fotográfica no Manhattan Square

Para saber mais carrega aqui

Cão no Hotel


terça-feira, 28 de outubro de 2008

Fernando Nobre apresenta em álbum "rosto dos sem rosto"

Lisboa, 28 Out (Lusa) - Fernando Nobre, presidente da AMI (Assistência Médica Internacional), lança hoje um álbum de fotografia, "Imagens contra a indiferença", em que pretende "dar rosto aos sem rosto".
"Cada fotografia encerra uma história. Parafraseando Vitor Hugo, eu quis dar rosto aos sem rosto, foi uma maneira de lhes dar rosto, ficaram muitos milhares e milhões a faltar, mas aqueles pelo menos ficaram retratados. Muitas pessoas morrem sem deixar rasto, nem têm bilhete de identidade, nascem e morrem sem ninguém saber que existiram. Foi uma maneira de lhes dar um rosto e de saberem que não morreram assim, anonimamente", disse à Lusa Fernando Nobre.
Com este álbum, Nobre encerra a trilogia contra a indiferença.
"O que tinha para dizer está dito", frisou o médico, que considera que "uma imagem vale mais que mil palavras" mas não quer "chocar".
"Não quis fazer um livro de choque, seria fácil, com situações de guerra. Sou um fotógrafo amador, não uso aquelas 'metralhadoras', faço fotografias com uma pequenina máquina de bolso, e quando o que vejo me interpela disparo a minha maquinazinha", descreveu.
"Todas as fotografias que fiz e foram milhares, foi porque me interpelaram. Perdi muitas delas, outras estragaram-se, outras estão mal, mas muitas ficaram gravadas na minha retina. Há fotografias que não fiz por pudor, porque achei que não tinha esse direito", observou, sublinhando que o seu "lema de vida" tem sido "contra a indiferença", por ser "um ser humano inconformado que protesta e grita sempre que pode".
O álbum inclui 150 fotografias tiradas em 50 países entre 1982 e 2008 e será hoje apresentado por Eduardo Gageiro e Adriano Moreira no Salão da Academia de Ciências, ás Mercês, pelas 18:30.
"O álbum está dividido em quatro capítulos: mulheres, crianças e idosos,que são os três elos mais fracos da cadeia humana perante qualquer tragédia, e um quarto sobre cenas de vida", explicou.
"O protesto e a indignação que vi,espero que a fotografia os possa despertar noutra pessoa", acrescentou, lembrando que a fotografia mais antiga do álbum data de 1982 e "foi tirada em Beirute a uma menina que tinha operado a uns estilhaços, durante o período em que esteve lá o general Sharon".
No próximo mês, dia 04, Fernando Nobre irá apresentar um livro de histórias infantis e, em termos editorais, prevê "escrever ensaios sobre o estado do mundo".

Albufeira recebe Salão Internacional de Fotografia 2008

A Câmara de Albufeira apresenta mais uma vez o Salão Internacional de Arte Fotográfica do Algarve.Este evento, já vai na 34ª edição, e tem lugar na sala polivalente da biblioteca municipal, entre os próximos dias 6 de Novembro e 3 de Janeiro de 2009.
O evento, organizado pelo Racal Clube, tem constituído um importante veículo de divulgação e promoção da região algarvia, a nível nacional e internacional, por meio da fotografia.
Reconhecido internacionalmente pelas duas federações mundiais de fotografia, “The International Federation of Photographic Art- FIAP”, e “Photographic Society of América”, o Salão de Fotografia do Algarve encontra-se incluído nos calendários internacionais de salões de fotografia divulgados mundialmente, recebendo a máxima classificação atribuída a eventos do género, o que lhe confere um lugar de destaque, entre os 150 que se realizam por todo o mundo.
O salão foi exposto com êxito assinalável nos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Grã-Bretanha, Áustria, Suiça e Dinamarca.
Na exposição realizada em 2007, participaram 2.072 concorrentes de 59 países, com 7.684 trabalhos fotográficos. A participação de estrangeiros constituiu 90 por cento da totalidade, demonstrando o prestígio que o salão desfruta a nível internacional.
A mostra poderá ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h30 às 18h15, e de sábado a segunda-feira das 12h30 às 18h15. A biblioteca municipal encontra-se encerrada aos domingos e feriados.

Corrida do Tejo II
















Centro do Património de Cacela recebe exposição com trabalhos do Concurso de Fotografia

Uma exposição com os trabalhos do segundo Concurso de Fotografia «Patrimónios de Cacela» está patente no Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela, na antiga primária de Santa Rita.
O tema do concurso este ano era o saberes-fazeres do mar, barrocal e serra, podendo a exposição ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.

Na inauguração serão entregues os prémios e menções honrosas aos autores dos trabalhos seleccionados pelo júri.
1º Prémio «Funda», de Ana Maria Abrão;
2º Prémio «Armas da luta diária», de Ana Maria Abrão;
3º Prémio«Britar azeitonas II», de Vanessa Vargas do Sol Pereira;

Menções Honrosas«Cura de Santa Rita», de João Filipe de Brito Sol Pereira;«O pão caseiro», de Helena Margarida da Conceição Rodrigues;«O saber», de Maria de Fátima Rodrigues da Silva Afonso;Menção Especial«Metamorfose de Cor», de Ana Margarida Paixão Ferreira;

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Exposição de Fotografia "A Dança da Luz Viva"

Miguel Louro volta a expor na Póvoa. De 19 Outubro a 2 de Novembro, "A Dança da Luz Viva" pode ser visitada no Diana Bar. Uma exposição em que luz e cor são os personagens principais, iniciadores de sentimentos e ambientes imateriais.E é com orgulho que expõe na sua terra natal e, mais concretamente, no Diana Bar, um local que, como afirma, lhe traz "boas recordações, de quando lá ia tomar o café com a minha mãe". No entanto, esta não é a primeira vez que expõe na cidade, já que o Casino da Póvoa e o antigo Posto de Turismo, na Avenida Mousinho, acolheram, há já alguns anos, exposições fotográficas suas. Médico, natural da Póvoa de Varzim, onde nasceu em 1955, Miguel Louro manteve sempre vivo o seu amor pela fotografia e fez várias exposições individuais e colectivas, no País e no estrangeiro. Colaborou em diversas actividades recreativas e culturais, tendo sido fundador e director da Associação de Fotografia e Cinema de Amadores de Braga, promoveu vários salões nacionais de fotografia, de onde nasceram os "Encontros da Imagem". Actualmente a residir em Braga, onde exerce também a sua profissão, Miguel Louro continua ligado à fotografia, à qual dedicou mais de 30 anos da sua vida, e, para além das exposições, o seu trabalho aparece também nas mais variadas publicações como a obra Sameiro, lançada por ocasião do centenário da coroação de N.ª S.ª do Sameiro, no livro de poesia de Mário Dias Ramos, Quatro Estações, ou ainda em Sente-se, com textos de José Hermínio Machado, que apresentou na Póvoa, em 2006.

Corrida do Tejo 2008 I


Foto tirada ainda no aquecimento

Muitas mulheres nesta corrida


Pessoas que queriam ser fotografadas

Km 6,5 segundo abastecimento de água






domingo, 26 de outubro de 2008

Exposição de Máquinas Fotográficas no Museu de Angra


O Museu de Angra do Heroísmo (MAH) expõe, a partir de sexta-feira e até 18 de Janeiro, uma mostra de máquinas fotográficas pertencentes à sua colecção de Ciência e Técnica.


Patentes na Sala de Oportunidades do museu, as máquinas que integram esta exposição integram, na sua maioria, o espólio adquirido por este Museu aos fotógrafos José Pessoa e Arnaldo Tristão Aguiar, vulgarmente conhecido por Foto Madeira, figurando igualmente quatro exemplares pertencentes a particulares.A mostra documenta a evolução técnica da fotográfica, apresentando exemplares de câmaras criadas por marcas famosas, da Kodak à Canon, passando pela Leica e pela Yashica, que, mediante aperfeiçoamentos técnicos sucessivos e produção em massa, revolucionaram o mercado e fizeram com que a fotografia passasse a integrar o quotidiano.Entre as peças apresentadas, o Museu de Angra destaca uma máquina de estúdio de grande formato Kodak Century 7A (película até 18X24cm) com objectiva normal, Scheneider, Xenar, de 24mm, f/4.5, e visor directo (vidro de focagem), do início do século passado, que se liga à história da cidade de Angra do Heroísmo por ter pertencido a José Rodrigues, que manteve um estúdio fotográfico junto ao Jardim Municipal.A exposição é acompanhada de um catálogo que fornece informação detalhada sobre as peças expostas e inclui um glossário elementar de fotografia analógicaNo local, está ainda patente um conjunto de livros e periódicos alusivos ao tema e montada uma simulação de um estúdio fotográfico antigo. Segundo explica o MAH, a fotografia, ao fixar o espaço e ao deter o tempo, constitui-se como “uma espécie de milagre químico e técnico que, eternizando as memórias, aniquila o esquecimento”, pelo que uma visita à presente exposição significará, adianta, aceder pela via tecnológica “à essência da magia fotográfica”.

As redes


Esta é a ultima foto desta viagem de bicicleta é um pescador em lagos no porto de pesca a guardar as redes depois de uma noite na faina
Tal como a primeira foto da viagem as redes estão em destaque é uma coincidência que só agora reparem

sábado, 25 de outubro de 2008

Fotógrafos de natureza portugueses querem criar associação


Gostam de sair de casa ao fim-de-semana e captar fragmentos fotográficos de paisagens, plantas ou animais. A comunidade portuguesa de fotógrafos de natureza reúne 500 pessoas e promoveu, durante um mês, um festival internacional que termina este fim-de-semana em Leiria. A meta seguinte é criar uma associação para mostrar às pessoas o que estão a fazer em Portugal.No fim-de-semana, a cidade de Leiria recebe algumas referências mundiais, como Frans Lating, fotógrafo na National Geographic, o sueco Staffan Widstrand e o espanhol José B. Luiz. Serão realizadas palestras e workshops no do Teatro José Lúcio da Silva.Nesta casa estará patente até 23 de Novembro a exposição “Life: a journey through times”, de Lanting. As 70 fotografias revelam uma jornada sobre a história da vida na Terra, dos primórdios no planeta até aos nossos dias, incluindo imagens de um vulcão em erupção no Hawai e as águas quentes da Grande Barreira de Coral. Na Galeria do Bar Grémio Literário está patente até 26 deste mês a exposição do português Carlos Dias “Tesouros do Parque Natural de Sintra-Cascais”. Também termina no domingo a exposição “Oito ou Oitenta – A Natureza a várias dimensões”, dos portugueses Gonçalo Lemos, Paulo Lopes, Luís Ferreira e Filipe Silva. As visões destes quatro fotógrafos sobre a disparidade de tamanhos que existem na natureza estão patentes no Posto de Turismo de Leiria.A exposição ao ar livre “Wild Treasures”, com trabalhos de 20 fotógrafos, vai ser prolongada por duas semanas “devido ao número de visitantes” que recebeu, contou Filipe Silva, da Fotonaturis, ao PÚBLICO.A experiência com o festival, que começou a 20 de Setembro, “tem sido muito positiva. Penso que alcançámos os nossos objectivos: a visita de alunos de escolas de vários pontos do país e a vinda a Leiria fotógrafos de outros países”, disse Filipe Silva, também ele fotógrafo de natureza.Uma comunidade de 500 fotógrafosAs promotoras do festival são a Fotonaturis, uma comunidade de fotógrafos de natureza portugueses criada em 2005, e a câmara Municipal de Leiria. “Havia uma lacuna muito grande em termos de espaço para reunir estes fotógrafos”. Hoje são 500, a grande maioria amadores. “Os profissionais contam-se pelos dedos da mão. A maioria são pessoas que gostam de fotografar a natureza e levam isso a sério, apesar de não ser essa a sua profissão”, explica. Ao longo dos três anos de existência, esta comunidade tem trabalhado na divulgação das fotografias portuguesas, nomeadamente no estrangeiro. “Queremos que as pessoas conheçam os nossos trabalhos, que saibam que há um grupo de pessoas a trabalhar e que, quem quiser, se pode juntar a nós”, quer seja profissional ou amador de fim-de-semana. Quando o festival internacional terminar, no final do mês, vão dedicar-se à criação de uma associação portuguesa de fotógrafos de natureza para “disciplinar o sector”.Filipe Silva lamenta que o mercado português, nomeadamente o das publicações periódicas, prefira o trabalho de estrangeiros. “São clientes assíduos de trabalhos internacionais, mas nós também temos fotógrafos no terreno, em projectos de pesquisa”, lembrou. Para 2009 já está prevista nova edição do festival internacional.

Saberes-fazeres de Cacela em exposição


Os diversos ofícios das gentes que habitam Cacela, Vila Real de Santo António, vão estar presentes na exposição de fotografia “Patrimónios de Cacela”. Leia aqui.
A exposição nasce dos trabalhos apresentados no 2º Concurso de Fotografia "Patrimónios de Cacela", sob o tema “Saberes-fazeres do mar, barrocal e serra”.
A mostra é inaugurada hoje, às 18h00, no Centro de Investigação e Informação do Património de Cacela (CIIP de Cacela), na antiga escola primária de Santa Rita.
A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.

Escolha do Peixe



Fotos tiradas em Lagos quando os barcos descarregavam o peixe

Saída da Muralha


sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Canon e Atelier de Imagem pela formação fotográfica

Foto de autor desconhecia

A Canon e o Atelier de Imagem anunciaram uma parceria para a utilização de tecnologias e formação na área da Fotografia. A Canon irá contribuir com a disponibilização de equipamentos da sua gama profissional EOS e de objectivas, que serão, por sua vez, utilizadas em acções de formação orientadas pelo Atelier de Imagem, durante um ano. Esta parceria inclui workshops de fotografia, cursos temáticas de curta e de longa duração, nas áreas do Workflow fotográfico, Iniciação à fotografia, Estúdio fotográfico, Fundamentos da fotografia, Curso profissional de fotografia, Fotografia de moda, Fotografia de publicidade, Fotografia de arquitectura e Fotografia de fotojornalismo.
“A nossa vasta experiência em imagem e fotografia coloca-nos num patamar que nos permite apoiar a educação e formação de todos os amantes de fotografia que procuram tirar o maior partido dos seus equipamentos e da fotografia em geral”, afirma Goreti Pedrosa, Iberian Marcoms Manager da Canon.

Sagres o meu objectivo


Um gato no fim de Portugal


Foto tiras em Sagres dentro das muralhas

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Exposição de fotografia "Daqui e Dali",

A Santa Casa da Misericórdia do Porto inaugura sexta-feira, na sua sede, na Rua das Flores, a exposição de fotografia intitulada "Daqui e Dali", da autoria do fotógrafo João Meneres.
A exposição estará patente até 19 de Dezembro de 2008, podendo ser visitada, nos dias úteis das 09:00 às 12:30 e das 14:00 às 19:00, e sábados das 15:00 às 19:00.

Mostra em Londres reúne imagens de ídolos do rock

Foto de Bob Marley exposto no Rockarchive. (Foto: Jill Furmanovsky/rockarchive.com)

Uma exposição em Londres reúne imagens feitas por 50 renomados fotógrafos das figuras mais conhecidas do mundo da música, especialmente do rock.
A mostra, instalada no bairro do Soho, celebra os dez anos do arquivo online de fotos Rockarchive, fundado pela fotógrafa Jill Furmanovsky.
Entre os artistas que foram fotografados estão David Bowie, Beatles, Lou Reed, Bob Marley, The Clash, The Who, entre outros.

Storm Thorgerson/rockarchive.com
Pink Floyd no começo da carreira. (Foto: Storm Thorgerson/rockarchive.com)
Algumas imagens mostram os artistas na fase inicial da carreira, como uma da banda Pink Floyd feita na década de 60 pelo fotógrafo Storm Thorgerson, autor das capas de 16 álbuns do grupo.
Furmanovsky, que começou o arquivo online com base em sua coleção pessoal de fotografias, conta que a intenção era formar um coletivo nos moldes da Magnum - famosa agência de fotografia - e divulgar o seu trabalho e de outros fotógrafos de música.
Depois de Londres, a exposição comemorativa dos 10 anos do Rockarchive irá percorrer Sydney, Tóquio, Genebra, Praga e Nova York no próximo ano.
A mostra fica em cartaz na capital britânica até dia 9 de novembro.

Nuno Sá vence prémio "Shell Wildlife Photographer Of The Year"

Foto de Nuno Sá
Chama-se Nuno Sá. É fotógrafo e foi o vencedor do desejado “Shell Wildlife Photographer Of The Year” com uma foto sobre orcas, tirada nos Açores.
No início de Novembro, terá a sua primeira colaboração com a revista “National Geographic Portugal”, com um artigo sobre ‘Tubarões baleia nos Açores’.



Pesca Tradicional


Foto tirada em Milfontes

Bom Dia


Foto tiras no dia que viagem 96 Km de bicicleta

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Exposição de Fotografia em Óbidos

Foto de Ana Gaiaz

A Galeria da Casa do Pelourinho está a acolher até 2 de Novembro uma exposição de fotografia de máscaras de Ana Gaiaz.

Trata-se de 18 fotografias que, como a artista revela, relatam “o desamparo da condição humana – caras de bonecos tristes, bonecas sofisticadas, outras de expressão perturbada e histérica ou de espanto e indignação. São adereços que ampliam a realidade, a beleza e o horror”.

Concurso Fotográfico “Forte de São Brás – Diferentes Olhares”

O Comando da Zona Militar dos Açores vai comemorar o Dia da Zona nos finais do mês de Novembro. No âmbito dessas comemorações, irá promover uma grande exposição nas Portas do Mar, nos dias 26, 27 e 28 do próximo mês. Com o intuito de abrir à sociedade civil este momento tão importante da vida militar, o referido Comando convidou a AFFA para se associar ao evento, organizando um concurso fotográfico intitulado “Forte de São Brás – Diferentes Olhares” do qual resultará uma exposição de 40 fotos em 40X60.Assim, os fotógrafos da AFAA, e não só, poderão circular livremente no forte, a fim de poderem fotografá-lo sob as mais variadas perspectivas, por dentro e por fora, de noite e de dia, enfim, de modo a que o concorrente possa, através da fotografia, demonstrar o que o Forte significa para ele, de uma forma gratuita e com um máximo de 10 trabalhos fotográficos que deverão ser enviados, até ao próximo dia 16 de Novembro.O júri irá seleccionar 40 fotos que irão estar patentes ao público nas Portas do Mar, integrando a exposição do Dia da Zona, indo depois para o Museu do Forte de São Brás. Serão atribuídos às três melhores fotos, prémios semelhantes: um Livro e uma Cresta da Zona Militar dos Açores.

Zambujeira do Mar um por do Sol lindo


Lagos acolhe exposição sobre obra de Oscar Niemeyer

Foto de Autor desconhecido

“100 Fotos, 100 Obras, 100 Anos” é o título da exposição de Leonardo Finotti sobre a obra de Oscar Niemeyer, que está patente no Centro Cultural de Lagos, até ao dia 30 de Dezembro.Trata-se de uma exposição de fotografia sobre a obra de Niemeyer produzida pela Fundação EDP, neste ano que se comemora o centenário do famoso arquitecto, que ainda prossegue a sua criação.
As fotografias (simbolicamente 100, das muitas centenas de edificações por ele realizadas) foram captadas ao longo do ano de 2007 por um outro arquitecto, também brasileiro, Leonardo Finotti, que apesar da sua juventude tem já uma carreira internacionalmente afirmada como fotógrafo de arquitectura.
“As imagens seleccionadas funcionam como um longo e estimulante diário de viagem: porque as obras de Niemeyer ocupam todos os continentes e se renovam ou nos surpreendem em cada um dos seus exemplos. Através delas podem os visitantes do Centro Cultural de Lagos não apenas recolher pontos de vista inovadores sobre obras muito conhecidas (as grandes construções de Brasília, por exemplo) como tomar contacto com edificações menos conhecidas, mas não menos relevantes”, realça a organização.

Anoitecer na Zambujeira do Mar


O casal que esta no banco sentado – jantava romanticamente a ver este por do Sol

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Exposição «O rio que eu piso» inaugurada esta terça-feira

A exposição de fotografia «O rio que eu piso (a arte das calçadas portuguesas no Rio de Janeiro)», de Bruno Veiga, vai ser inaugurada hoje na Galeria Torreão Nascente, em Lisboa, das 21:00 às 23:00 horas.
A mostra vai funcionar de terça a sexta-feira, das 10:00 às 19:00 horas; e aos sábados e domingos, das 14:00 às 19:00 horas; encerrando às segundas-feiras e aos feriados.
«O rio que eu piso (a arte das calçadas portuguesas no Rio de Janeiro)» estará patente até 14 de Dezembro.

O Boi


Porto Covo




Um milhão de fotos para Manuel Pinho

Foto de Nick Knight

A campanha Portugal "West-Cost"já tinha dado grande polémica e escândalo. Houve então uma natural indignação ao saber-se que o governo português, pela mão do ministro Manuel Pinho, tinha pago uma soma astronómica ao fotógrafo Nick Knight por umas fotografias trabalhadas em photoshop, sobre retratos de portugueses famosos. A campanha terá custado à volta de 1 milhão de euros e dava de Portugal não a imagem de um país, mas a imagem de uma marca. O conceito era retorcido e o resultado gráfico decepcionante: mal se reconheciam as caras dos portugueses de excelência num trabalho frio, sem referências à identidade de Portugal.
Os fotógrafos portugueses ficaram irritados. Foram trocados por um estrangeiro e deixaram de receber uma fatia generosa do Ministério da Economia. Também se algum português tivesse ficado com a encomenda jamais teria tido a lata suprema de pedir tais honorários. Manuel Pinho é um amador de fotografia, conhece e convive com alguns fotógrafos portugueses e a sua mulher é em grande parte responsável pelo BesPhoto. Percebe-se que tenha ido buscar uma truta estrangeira para fotografar Portugal. Por prestígio, gosto, e um evidente novo-riquismo pago cá pelos contribuintes. Já Duarte Pacheco nos anos cinquenta contratou o célebre fotógrafo Cecil Beaton para o fotografar no seu gabinete de Ministro das Obras Públicas, no Terreiro do Paço. O corporativismo não pode vingar neste tipo de opções, nem noutras claro. Mas quando depois o resultado é um desastre, alguém deveria assumir as responsabilidades. E aquela campanha foi desastrosa. Bastaria o pequeno pormenor de a campanha ter passado apenas em Portugal, estando a promover o país para estrangeiros que já cá estavam, para o seu objectivo ser de um ridículo atroz. Agora, parece que Manuel Pinho vai repetir a dose com outro fotógrafo que, porventura para não ficar atrás de Nick, vai facturar outro milhão!... Apanhado pela TVI na rua, Manuel Pinho começou às voltas sobre si próprio, como o senhor Faísca do Noddy, evitando responder à pergunta do repórter maçador. Balbuciou que era assunto do turismo e conseguiu sair à pressa da meada feita pelo jornalista. Perante tanta atrapalhação é de crer que vamos ter mais uns retratos extraordinários com um preço extraordinário. É verdade que a qualidade dos fotógrafos, e não só, não se mede ao retrato, nem a peso, nem a metro, mas uma campanha fotográfica de um milhão ultrapassa tudo o que se passa em produções fotográficas, mesmo em Hollyood. E para estar na moda, e brincar ao photoshop sobre umas fotos mal amanhadas, há por cá uma rapaziada que faz melhor e mais barato. E fica tudo em família.

Galeria de São Bento acolhe exposições de fotografia

Foto de Autor desconhecido

As exposições de fotografia «Sombras da Noite», de Margarida Dias, e «Rumo - Sul», de Andreia Lima, foram inauguradas este sábado, na Galeria de São Bento, em Lisboa.
As mostras, compostas por séries de imagens, têm em comum somente a escala e a cor, já que Margarida Dias fotografa à noite, enquanto Andreia Quelhas Lima fotografa ao princípio do dia ou ao fim da tarde.
A primeira artista busca «o que se vê nessa altura do dia e todas as coisas que terão menos interesse para o senso comum», enquanto Andreia evoca, com a luz que capta, «o inusitado dos objectos e dos afectos abandonados».

Praia de São Torpes


segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Nascer do dia


Foto tirada á zona industrial de Setúbal ao acordar

Fotografia de Elias Rodrigues no Fórum

O Fórum actor Mário Viegas (Centro Cultural Regional de Santarém) recebe, a partir de sábado, dia 18, uma exposição de fotografia de Elias Rodrigues. A inauguração da exposição, às 17 horas, terá a animação musical de Carlos Mendes, Raquel Correia (piano) e Luis Malha Valente (guitarra). A exposição estará patente até 31 de Outubro e pode ser visitada das 14 às 18h30 nos dias úteis e, aos sábados, das 15 às 18 horas.

Vila Nova de Milfontes - Praia