segunda-feira, 4 de maio de 2009

Estou desiludido com a maioria dos portugueses

É verdade, hoje no debate publico no Radio Clube Português, onde eu participei, percebi que a grande maioria dos portugueses gostam de Toradas.
Eu que pensei que era-mos um povo digno, e que defendia-mos os direitos dos animais. Percebi que no decorrer do debate a grande maioria gostava de ver toradas.

Eu que sou totalmente contra esse espectáculo de tortura animal, demonstrei a minha indignação e ainda não consigo perceber aonde está a beleza que muitos falam.

Ou cera que a torada não é um lugar onde touros são picados com ferros com mais de 7 centímetros que são espetados nos pobres animais.

E depois as historias da tradição, que muitos alegam, para continuarmos a ter esta tortura em Portugal, é uma coisa que me faz raiva.

Desculpei-me algumas pessoas, mas seu estúpidos qual tradição? Á países onde a mutilação genital feminina é tradição, e por esse motivo não temos que ser contra essa tortura? E se o meu pai roubasse e a minha mãe também, eu poderia roubar só porque era tradição familiar, seus parvalhões.

E também não me venham dizer que se não houvesse torada não haverias touros bravos, porque é melhor não existir do que ser torturado. Só mais uma coisa eu sou ovo lacto vegetariano, por isso também não pega a historia de quando estas a comer não pensas no sofrimento dos animais.

5 comentários:

Ricardo disse...

Não sou da opinião que as touradas e os circos com animais devam simplesmente acabar. Porém, estas actividades deveriam ser altamente reguladas de modo a que não houvesse qualquer sofrimento animal. Acho que o grande problema é a radicalização dos dois pontos de vistas entre os que querem que a tourada acabe e os que querem que a tourada fique como é. A melhor solução passa por um consenso, em que haja a manutenção da tourada sem que o touro seja sujeito a qualquer sofrimento, na minha modesta opinião… Não vejo por exemplo qualquer problema com os forcados.

Acho que o grande problema dos portugueses é radicalização e a falta de capacidade de diálogo…

Troca Letras disse...

Pois mas á sofrimento de animais também com os forcados.
Basta pensar um pouco e ver a prospectiva de um animal, que é criado no campo e de repente é posto numa carrinha a força e a base de picadelas, e depois é largado numa praça de touros com pessoas aos gritos e a aplaudir- Já imaginantes o pânico dessa criatura que não sabe o que é que está ali a fazer.
Era a mesma coisa que extraterrestres pegassem em ti e colocassem-te nu lugar desconhecido. Como ficarias calmo ou em pânico?

E os circos. Imaginas quanta pancada eles dão a esses animais, que deveriam ser selvagens e estão ali a ser treinados a contra gosto.
Já imaginastes o que é viver enjaulado a vida toda?
Sabes o que eles fazem aos felinos? So duas coisinhas de muitas para veres o problema.

Cortam os dentes “ garras “ a eles, e depois quando os animais alimentam-se os restos de comida entram para dentro dos dentes cortados, sabes o que acontece na maioria das vezes. Grandes infecções e dores de dentes enormes.

sabes porque que os felinos andam para traz quando o treinador mostra-lhes o pau ou chicote.
Pois é um leão não teria medo de um pau o chicote normalmente, não é verdade ?
Pois mas quando eles são treinados os treinadores usam paus incandescentes, e como eles já fourão queimados tem medo.

Ricardo disse...

Pedro obrigado pelas informações sobre por exemplo o funcionamento de alguns circos. Nunca me passou pela cabeça que tais coisas acontecessem. Mas acho que tu és um desses radicais que falei no meu comentário. Temos que ter sempre uma opinião crítica mas não ortodoxa. Também acho uma crueldade as pessoas terem animais em apartamentos mas não acho que deva ser proibido. Vivemos numa sociedade pluralista e democrática, que se deve regular por consensos e não pela opinião de alguns "iluminados", daí ter dito que as touradas e os circos com animais não devam simplesmente acabar. Deverão ser repensadas, reformuladas e reguladas, tendo em conta o sofrimento e a felicidade dos animais. O primeiro passo para a alteração do estado das coisas é a capacidade de diálogo e de ouvir a outra parte, por mais estúpida que esta te possa parecer. ok

Troca Letras disse...

Eu não sou radical OK
eu trabalho com animais domésticos e ganho dinheiro com eles, mas sou contra o sofrimento dos animais para os humanos gozarem de um espectáculo.
Eu não sou radical OK
eu trabalho com animais domésticos e ganho dinheiro com eles, mas sou contra o sofrimento dos animais para os humanos gozarem de um espectáculo.
Sou a favor das corridas de cães e cavalos, não sou contra a caça, e os meus filhos e os meus cães comem carne.
Por isso e muitas outras coisa não sou um radical, como o pessoal da Animal, mas sou totalmente contra o sofrimento dos animais só porque sim.
Só mais uma coisa já ouvistes falar no circo soleil, não usa animais e é considerado o maior e melhor circo do mundo.

AGiRpelosAnimais disse...

Subscrevo!
partilho das mesmas ideias... "tradição" e "cultura" não são justificações para manter ad eternum uma mentalidade retrógada e medíocre...
Tranquiliza-me saber que essa "maioria" é cada vez em menor número... e a seu tempo, quando os filhos começarem a serrem capazes de inflingir o mesmo sofrimento em pessoas, os pais percebam que afinal a violência talvez seja a "cultura" e a "tradição" que lhes incutiram... por estádios hoje num animal, amanhã num ser humano. Não estranharia... os casos sucedem-se e só não vê quem não quer.

Um abraço
AG